Introdução à criminologia verde: Perspectivas críticas, descoloniais e do Sul

Recomende a um amigo Adicionar aos meus livros
Em papel:
Artigo disponível, envio imediato.
R$ 148,00
Livro eletrônico*:
Disponível na versão pdf drm Nuvem de leitura disponível
R$ 90,00
Para visualizar os livros eletrônicos, você deve ter instalado Adobe Digital Edition no seu computador. Para saber mais, pressione aqui


Crise climática, negacionismo científico, catástrofes ambientais, desmonte de órgãos fiscalizadores no Brasil. Sem dúvidas, este é um momento oportuno para publicarmos o primeiro livro de criminologia verde no país. A criminologia verde está enraizada na criminologia crítica e está atenta aos danos causados pelo capitalismo, especialmente através de condutas praticadas por agentes poderosos. Ela propõe o estudo de crimes e danos ambientais que afetam a vida humana e não humana, os ecossistemas e a biosfera. Mais especificamente, explora e analisa: as causas estruturais, as consequências e a prevalência de crimes e danos ambientais, as respostas e a prevenção de crimes e danos ambientais pelo sistema jurídico, pela ação de entidades não-governamentais e movimentos sociais, bem como o sentido e as representações mediadas de crimes e danos ambientais.

Além de propor novas perguntas e conduzir a inovações na teoria e nos métodos, a criminologia verde também compartilha algumas das características clássicas que definiram a tarefa criminológica, abordando questões simples:

Por que e como as leis são produzidas e violadas? O que pode ser feito em resposta? Por que alguns atos são criminalizados e outros não, mesmo quando estes podem acarretar muito mais danos, a exemplo da poluição e da extração de petróleo e de carbono?
Ao mesmo tempo, o conhecimento proveniente da periferia do capitalismo, ou Sul Global, reflete uma imprescindível compreensão do ambiente natural para estudar e combater a degradação ambiental e, não menos importante, contribuir com um campo acadêmico que compreenda melhor e dê passos maiores no sentido de conter práticas ambientalmente destrutivas. Necessariamente, este campo será crítico ao capitalismo, em sua sanha devoradora da natureza, identificando, no centro da análise, o papel do racismo, do androcentrismo, do antropocentrismo e do especismo na hierarquização de corpos prevalentemente atingidos pelos danos socioambientais.

Digite um comentário
Livros escritos por
Se os resultados não forem carregados automaticamente, pressione aqui para carregar
Se os resultados não forem carregados automaticamente, pressione aqui para carregar
Se os resultados não forem carregados automaticamente, pressione aqui para carregar
Se os resultados não forem carregados automaticamente, pressione aqui para carregar
Se os resultados não forem carregados automaticamente, pressione aqui para carregar