Constitucionalismo de Ficções: Uma Incursão na História do Direito Brasileiro por Meio da Literatura

Recomende a um amigo Adicionar aos meus livros
Livro eletrônico*:
Disponível na versão pdf drm Nuvem de leitura disponível
R$ 70,00
Para visualizar os livros eletrônicos, você deve ter instalado Adobe Digital Edition no seu computador. Para saber mais, pressione aqui
Esgotado


Breve apresentação:

Fico muito feliz com o convite que me foi feito pelo meu amigo André Karam Trindade para prefaciar o livro que ele e Guilherme Gonçalves Alcântara escreveram, intitulado Constitucionalismo de ficções. As leitoras e os leitores não se enganem: não se trata de repetir o "senso comum teórico" (Warat) segundo o qual o constitucionalismo brasileiro seria meramente fictício, simbólico, tardio, fracassado ou um mero simulacro, como advertem os autores em seu  prólogo. Aliás, se fosse isso, seriam outros os autores e, com toda certeza, outra pessoa a prefaciar um livro que mais uma vez repetisse a cantilena ressentida daqueles que, idealizando os constitucionalismos dos países ditos "metropolitanos", não reconhecem o caráter conflitivo, tensional, sujeito a tropeços e a retrocessos de todo e qualquer processo de constitucionalização, inclusive o desses países, inclusive o de países ditos "periféricos".

O próprio subtítulo já dá uma pista: "uma incursão na história do direito brasileiro por meio da literatura". E, assim, como bem afirmam, mais uma vez, os autores em seu prólogo, "O título serve como provocação a estudar a história do constitucionalismo através da Literatura brasileira. Seis constituições que marcaram a história política do país, sob a perspectiva de três consagrados escritores nacionais: Machado de Assis, Graciliano Ramos e Guimarães Rosa."

Digite um comentário
Livros escritos por
Se os resultados não forem carregados automaticamente, pressione aqui para carregar
Se os resultados não forem carregados automaticamente, pressione aqui para carregar