O ator e o "não direito" do criador inominado

Recomende a um amigo Adicionar aos meus livros
Em papel:
Artigo disponível, envio imediato.
R$ 30,00
Livro eletrônico*:
Disponível na versão pdf drm Nuvem de leitura disponível
R$ 20,00
Para visualizar os livros eletrônicos, você deve ter instalado Adobe Digital Edition no seu computador. Para saber mais, pressione aqui


Serei sintético neste prefácio. Não pedi a ninguém que o escrevesse. Talvez o faça nas próximas edições.

O livro que o leitor tem em mãos não é um livro de Direito. Melhor dizendo, não é um livro somentede Direito. Claro que o jargão jurídico estará um pouco presente, pois faz parte da minha formação. Trata-se, porém, de um texto que busca aproximar minhas ideias filosóficas do direito de autor no cenário do direito dos atores. As ideias aqui expostas veÌ?m circulando em minha mente e em meus textos faz muito tempo e já podem ser identificadas em muitos de meus artigos, livros ou vídeos.

Desta vez, porém, foi diferente. A ideia era escrever um texto que pudesse comprovar às pessoas o óbvio: que o exercício da atuação é um processo criativo! Esta não é uma questão para os atores. Eles o sabem. Sabem porque o sentem. A tarefa, portanto, era contar aos demais que esta obviedade deveria ter sido compreendida há muito tempo. Ainda deve-se constantemente insistir na afirmação de que o gás carbônico do artista é o oxigeÌ?nio da humanidade.

Por outro lado, além de contar a obviedade, há o objetivo de narrar os seus efeitos e propor alguma solução (historicamente ou filosoficamente) compensatória.

Digite um comentário
Livros escritos por
Se os resultados não forem carregados automaticamente, pressione aqui para carregar